ANGOSAT1 :  O PERDEMOS MESMO?

ANGOSAT1 : O PERDEMOS MESMO?


Eu estava em Rondônia quando recebi a notícia que me deixou extremamente animado. Lembro que dei um grande pulo no meio do quarto enquanto olhava a notícia que pra mim, era a melhor do ano: Angola estava enviando para órbita o seu primeiro satélite, o ANGOSAT 1.

Lá em Angola, o clima era de muita alegria e senso de uma nova era para a tecnologia precária, e internet escassa. Creio que o lançamento do ANGOSAT1 no dia 26 de dezembro de 2017, um dia após a comemoração do natal, foi visto pelos angolanos como o maior presente de natal de todos os tempos, ou até mesmo como um presente divino. 

O satélite de fabricação Russa, custou 320 milhões ao Estado angolano povo angolano. Mas depois de mandado à órbita por volta das 19h no horário de Moscou (17 no de Brasília), a partir do cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão (Rússia), o ANGOSAT1 se despediu da terra e dos angolanos para nunca mais voltar. Na verdade, nenhum satélite é mandado  ao espaço pra voltar outra vez à terra. Mas para mandar sinal de lá para cá. Porém, nem sinal o ANGOSAT1 mandou! Depois de várias tentativas dos especialistas para mantê-lo em conexão com a central em solo, a notícia veio: perdemos o ANGOSAT1 e sem esperança de recuperá-lo.  Essa notícia foi uma das mais difíceis que angolanos já receberam. Porque, quem desejaria que isso ocorresse com seu primeiro satélite? 

A tecnologia que deveria durar por 15 anos, morreu em apenas uns dias. Simplesmente sumiu! E com isso, teorias da conspiração surgiram entre os mwangolés. Há quem acha que os russos desviaram propositalmente o satélite angolano, outros afirmam de que tem a mão dos EUA nessa história. E um terceiro grupo, simplesmente prefere acreditar  que são os angolanos que não têm sorte mesmo. Mas independente da teoria correta, uma  lição fica:   não comemorar demais antes do jogo terminar.

E agora, só nos basta esperarmos o lançamento do ANGOSAT2 -  e que desta vez, ele vá ao espaço e mande mesmo sinal. Afinal, os angolanos já têm makas demais para resolver.

Mwangolés: quem é de Angola
Makas : problemas

LENDO UM LIVRO DE CADA PAÍS

LENDO UM LIVRO DE CADA PAÍS


Neste ano (2018), me propus a iniciar um projeto de leitura. O mesmo, consiste em 𝗹𝗲𝗿 𝘂𝗺 𝗹𝗶𝘃𝗿𝗼 𝗱𝗲 𝗰𝗮𝗱𝗮 𝗽𝗮𝗶𝘀 𝗱𝗼 𝗺𝘂𝗻𝗱𝗼. O objetivo desta “loucura”, é mergulhar no conhecimento de outras culturas, povos, historias e segredos de nosso mundo. Os países que lerei são os 𝟭𝟵𝟯 𝗿𝗲𝗰𝗼𝗻𝗵𝗲𝗰𝗶𝗱𝗼𝘀 𝗽𝗲𝗹𝗮 𝗢𝗡𝗨, mais os dois Estados observadores (Palestina e Vaticano) e ainda mais 3 países não reconhecidos pela ONU (Kosovo, Taiwan e Saara Ocidental). 𝗧𝗼𝘁𝗮𝗹𝗶𝘇𝗮𝗻𝗱𝗼 𝗮𝘀𝘀𝗶𝗺, 𝟭𝟵𝟴 𝗽𝗮í𝘀𝗲𝘀!

Podes ver que desafio tenho pela frente, né? Devo dizer também que este será um projeto para a vida toda(sem exageros, eu queria dizer, a longo prazo) ou melhor, não tenho data para terminar de ler todos os 198 livros. Porque eu trabalho, tenho minhas responsabilidades e deveres sérios a cumprir. Lerei os livros, no tempo que tiver, e sem correias, pois, preciso trabalhar também, né? Hehehe ..., mas uma coisa é certa, 𝗹𝗲𝗿𝗲𝗶 𝘁𝗼𝗱𝗼𝘀 𝗼𝘀 𝟭𝟵𝟴 𝗹𝗶𝘃𝗿𝗼𝘀, 𝘂𝗺 𝗱𝗲 𝗰𝗮𝗱𝗮 𝗻𝗮çã𝗼!!

𝗣𝗿𝗮 𝗶𝘀𝘀𝗼, 𝘁𝗮𝗺𝗯é𝗺 𝗱𝗲𝘃𝗼 𝗱𝗶𝘇𝗲𝗿 𝗾𝘂𝗲 𝗽𝗿𝗲𝗰𝗶𝘀𝗼 𝗺𝘂𝗶𝘁𝗼 𝗱𝗲 𝘀𝘂𝗮 𝗮𝗷𝘂𝗱𝗮! Se puder, peço que me ajude no seguinte:

Me indique livros de algum autor dos 198 países que mencionei acima. Mas para isso, preciso que você me indique livros apenas das seguintes categorias: Autobiografias, Contos ou Romances (que não sejam de historias de baixaria, se é que entendes o que quero dizer). Pois, pretendo apenas ler obras que contenham informações de cada país, seu povo, costumes e cultura. Por isso, por favor, me indique livros de não ficção também de preferência. Lembrando que só pretendo ler livros de autores nativos ou naturais de algum pais acima. Tipo, não pretendo ler livro de algum Americano ou angolano, falando sobre a China, Japão, ou qualquer outro pais que não seja o dele. 

Me informe se souber de algum livro estrangeiro que tenha versão para o português, espanhol, ou mesmo em inglês. Está sendo difícil achar livros para o português, por isso, conto com sua ajuda. A dificuldade pra achar os livros é imensa. Tanto do ponto de vista financeiro para encomendar, quanto a encontrá-los. Muitos livros ou talvez a maioria, lerei no meu E-reader (Kindle Paper White), portanto, podem me indicar ou mandar-me livros digitais em formatos como PDF, MOBI, WORD e etc.

•  Curta esta página e partilhe ela, para que mais pessoas sabiam desde meu projeto.
PS.: As sugestões ou indicações de livros podes mandar-me abaixo desse post (nos comentários), ou na minha página oficial deste projeto no Facebook : Lendo um Livro de Cada País . É nesta pagina aonde estarei divulgando as fotos dos livros e o desenrolar do projeto. Aqui no blog, você pode clicar no Menu: 198 Livros , e ver a lista de livros e países que eu for lendo.


E para finalizar, vale lembrar que não sou o percursor deste projeto. Apesar de que sou apaixonado por países e culturas, e que desde sempre tive grande vontade de ler e conhecer autores de outras nações e ver como eles pensam sobre a vida e agem. O projeto teve início com a britânica Ann Morgan, a pagina dela é A Year of Reading the World , com quem tive a oportunidade de conversar um pouco a respeito, via mensagens pelo facebook. As ideias dela foi recebidas, e colocadas em pratica pela a menina paquistanesa,Aisha Arif Esbhani, (13 anos) que também leu 196 livros, um de cada país, veja a pagina dela Reading Books from Every Country


E aqui no Brasil, a versão do projeto teve como uma das percursora, Camila Navarro, blogueira e Youtuber. Ela fala de seu projeto 198 livros aqui : Viaggiando. Ela tem um vídeo super bacana sobre como este projeto funciona. Abaixo, segue links de algumas pessoas que aderiram ao projeto. Clique nas palavras em azul para ver o que elas dizem .
Ana Lotti : do canal Árvore dos Contos
Camila Navarro, do blog Viaggiando. O canal dela é Camila Navarro.
Lauren, do canal Pensei ao Ler
Mell Ferraz, do Literature-se

Ajude-me a prosseguir com este desafio, sugerindo-me livros e dicas de onde posso achar alguns.

Siga o blog no Instagram